Comport - Hardware & Software

7 DICAS PARA CONFIGURAR O ROTEADOR

Publicado em 27 de julho de 2016

É difícil ignorar o fato de que grande parte do que fazemos hoje é online. E dada a importância da internet em nossas vidas, a velocidade da conexão e a mobilidade fazem toda a diferença.


 

Pensando nisso, é comum a preferência da maioria das pessoas pelas redes wireless. Além de pouparem dados dos planos oferecidos pelas operadoras de telefonia, a qualidade da conexão Wi-Fi costuma ser superior e é possível conectar dispositivos eletrônicos à internet sem depender de fios. Mais do que um conforto, uma rede wireless é uma solução indispensável para os ambientes doméstico e corporativo.


 

Mas, uma rede wireless depende de um item fundamental: o roteador. Se você acabou de adquirir este equipamento, confira a seguir 7 dicas importantes para que você possa configurá-lo corretamente e garantir uma rede Wi-Fi segura, rápida e estável.


 

(1) Realizando a instalação física


 

O primeiro passo é ligar o roteador ao seu modem. Porém, caso ele realize ambas as funções, basta posicioná-lo próximo à tomada da linha telefônica.


 

Geralmente, o roteador possui 3 entradas, sendo a primeira a “Power”, onde se conecta o cabo de energia que, por sua vez, deve-se ligar à tomada. Com o cabo de energia ligado, deve-se conectar o cabo DSL ou WAN direto no filtro da linha telefônica, que é o responsável pela divisão entre voz e dados. Em outros modelos, é necessário ligar o cabo WAN no modem da operadora.


 

Por último, o roteador possui as portas LAN, onde se conecta o cabo RJ-45 que leva a internet ao computador. Mas, caso você possua um link de internet fornecido pela operadora e ligou tudo corretamente, o roteador já estará funcionando e distribuindo o sinal Wi-Fi no ambiente onde está instalado.


 

(2) Posicionando o equipamento no ambiente


 

O roteador distribui o sinal de internet em forma de ondas por todas as direções. Por isso, quanto menos obstáculos, mais forte o sinal Wi-Fi chegará aos aparelhos eletrônicos.


 

Mas o que é considerado obstáculo?


 

Paredes, colunas, móveis etc. Por isso, o ideal é instalar fisicamente o roteador numa área central e elevada, a fim de garantir o melhor aproveitamento do sinal no ambiente.


 

(3) Configurando o nome da rede (SSID) e a senha


 

Antes de configurar o nome da rede e a senha, será necessário saber o endereço de IP, login e senha para acessar as configurações do modem. Estas informações constam no manual do usuário do roteador adquirido. Basta consultá-lo.


 

Caso você não saiba, o nome da rede é chamado de SSID. Assim sendo, ao acessar as configurações do roteador, busque pela opção SSID para alterar o nome da rede e escolha um nome de sua preferência. E ao configurar a senha, opte pela criptografia WPA2, que é considerada uma das mais fortes. Isso reforçará a segurança da rede.


 

(4) Ativando o firewall


 

Com o objetivo de fortalecer a proteção da sua rede de informações corrompidas, ataques de hackers e malwares, ative o firewall do roteador. O recurso talvez venha desativado por padrão em alguns modelos, mas é possível habilitá-lo de modo simples utilizando o número de IP pelo navegador do computador. Ao acessar as configurações do roteador, localize o item “Firewall” e marque a opção “Habilitar”. Em seguida, clique em “Salvar”. Daí, dependendo do modelo do roteador, talvez seja necessário reinicializá-lo para aplicar as alterações.


 

(5) Ativando a função QoS


 

Esta função, por padrão, encontra-se na seção “Configurações Avançadas” dos roteadores.


 

O que ela faz? Permite definir programas ou serviços que terão prioridade na rede, sendo útil ela é compartilhada com outras pessoas. Imagine, por exemplo, que outros utilizam a rede enquanto você está jogando online. Se você definir que o jogo receberá prioridade na banda, as demais atividades, que estão consumindo banda paralelamente, ficarão mais lentas.  


 

(6) Alterando o servidor DNS


 

Para você entender melhor, é o servidor DNS (Sistema de Nome de Domínios, em Português) que realiza a conversão da URL em IP, ou seja, é por causa dele que nós digitamos endereços de sites ou páginas no navegador e não números.


 

Entendido isso, é importante saber que alterar o servidor DNS pode melhorar a velocidade no carregamento de páginas na internet. Por quê? Porque os servidores DNS padrão de sua operadora de internet muitas vezes não são as melhores escolhas.


 

Como fazer?


 

  • No navegador, basta digitar o IP do roteador, sendo que o padrão é 192.168.0.1 e os respectivos nome de usuário e senha são admin;

  • Daí vá ao menu Interfaces LAN/WAN e acesse as configurações WAN;

  • Nas configurações WAN, marque a opção “Usar estes servidores DNS”;

  • Digite o IP dos servidores DNS primário e secundário (sugestão> DNS Primário: 8.8.8. / DNS Secundário: 8.8.4.4) e clique em Salvar.


 

(7) Configurando a frequência de operação


 

Os roteadores trabalham nas frequências 2,4 GHz e 5 GHz, sendo que a mais baixa costuma ser a mais congestionada. Com isso em mente, caso você note lentidão na navegação, experimente trocar a frequência para 5 GHz, já que ela é mais alta e menos dispositivos estão trabalhando nela, tornando-a também mais estável.


 

Como fazer?


 

Seguindo o mesmo passo a passo já explicado, acesse as configurações do roteador. Clique em “Rede Wi-Fi”. Na seção “Configurações de Rede Wi-Fi”, busque pelo campo “Canal” e abra o menu com o número dos canais disponíveis. Ali você poderá escolher um canal compatível com a rede que deseja. Por fim, clique em “Salvar”.


 

 


 

(!) LEMBRE-SE: A COMPORT PODE FAZER TUDO ISSO, PRA VOCÊ E SUA EMPRESA, DE MODO RÁPIDO E FÁCIL. FALE CONOSCO!


 

 


 

Fonte: TechTudo (site de tecnologia da Globo.com)